Rede Social do Café

T Ó P I C O : EPAMIG promove dia de campo virtual sobre Cafeicultura de Montanha

Informações da Comunidade

Criado em: 28/06/2006

Tipo: Tema

Membros: 5201

Visitas: 23.683.258

Mediador: Sergio Parreiras Pereira

                        

Adicionar ao Google Reader Adicionar ao Yahoo Reader Adicionar aos Favoritos BlogBlogs


Comentários do Tópico

EPAMIG promove dia de campo virtual sobre Cafeicultura de Montanha


Autor: Leonardo Assad Aoun

118 visitas

1 comentários

Último comentário neste tópico em: 30/11/2020 17:00:45


Leonardo Assad Aoun comentou em: 30/11/2020 16:59

 

EPAMIG promove dia de campo virtual sobre Cafeicultura de Montanha

 

(Belo Horizonte, 30/11/2020) As palestras do dia de campo virtual Cafeicultura de Montanha promovido pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) já podem ser assistidas pela Rede Social do Café.  O evento, disponibilizado na manhã desta segunda-feira, 30 de novembro, aborda cultivares de café para o Sul de Minas, Manejo de pragas no cafeeiro, Controle de mato nas entrelinhas, além de tecnologias específicas para a cafeicultura de montanha; topoclima e relação com a qualidade; e nutrição mineral.

Catiguá MG2 é uma das variedades testadas no projeto em parceria com a Cooxupé – Foto: Antônio Alves Pereira

 

O chefe-geral da EPAMIG Sul, Cesar Botelho, apresenta a palestra “Cultivares de Café para o Sul de Minas”. “Com o objetivo de validar o comportamento agronômico e de qualidade de bebida de novas cultivares de café, implantamos, em parceria com a Cooxupé, o projeto ‘Unidades Demonstrativas de Café para o Sul de Minas’. São 15 unidades instaladas em 15 municípios, com diferentes altitudes e que seguem as práticas de manejo já adotadas pela propriedade”, explica.

O pesquisador acrescenta que o projeto testa oito cultivares desenvolvidas pelo Programa de Melhoramento Genético da EPAMIG (Catiguá MG2, MGS Ametista, MGS Aranãs, MGS Catiguá 3, MGS Paraíso 2, Paraíso MG H419-1; Pau Brasil MG1, e a progênie H6-47-10-pl3), que se destacam pela resistência à ferrugem e pela qualidade da bebida. Além destas, as cultivares Bourbon Amarelo IAC J10 e Catuaí Vermelho IAC 99, são usadas, como testemunhas, referências em qualidade e produtividade. “Vamos apresentar os dados preliminares primeiro biênio, safras 2019-2020, já temos alguns indicativos interessantes, mas o final desse projeto será após quatro safras”, informa.

As palestras foram pré-gravadas, mas o público poderá interagir com os pesquisadores por meio de plantão técnico por e-mail. Os contatos são disponibilizados no encerramento de cada apresentação.   

 

Fonte: EPAMIG

Visualizar | |   Comentar     |  



1