Rede Social do Café

T Ó P I C O : Haverá deficit de produção mundial até Junho de 2022 .

Informações da Comunidade

Criado em: 28/06/2006

Tipo: Tema

Membros: 5122

Visitas: 22.101.647

Mediador: Sergio Parreiras Pereira

                        

Adicionar ao Google Reader Adicionar ao Yahoo Reader Adicionar aos Favoritos BlogBlogs


Comentários do Tópico

Haverá deficit de produção mundial até Junho de 2022 .


Autor: Marco Antonio Jacob

2.188 visitas

2 comentários

Último comentário neste tópico em: 26/12/2019 12:24:27


Marco Antonio Jacob comentou em: 23/09/2019 09:35

 

Haverá deficit de produção mundial até Junho de 2022 .

 

Em 2018 o Brasil colheu a safra recorde de 63 milhões de sacas , consequentemente  no periodo de setembro de 2018 até agosto de 2019  , 12 meses , as exportações brasileiras atingiram o recorde de  41.986.863 sacas de acordo com o relatorio da CECAFÈ .

Porem a produção de 2019 esta finalizada , sendo uma colheita pífia , e conforme dados da CONAB , será proxima de 49 milhões de sacas , lembrando . que o ano de  2019 é uma safra caracteristica de bienalidade baixa . 

Com as atuais adversidades climaticas nas principais regiões de café do Brasil , Cerrado , Sul de Minas , Mogiana , Zona da Mata , Espírito Santo etc . a safra de 2020 , esta que ainda não florou , deverá ser inferior a  menos 10% em relação a safra de 2018 , sendo assim teremos uma expectativa de colheita proxima de 56,70 milhões de sacas .

Alguns acham que menos 10% é exagerado , não é não , esquecem que houve geadas severas em algumas poucas areas , porem o frio foi intenso em varias areas , esta havendo uma tremenda estiagem combinada com altissimas temperaturas e o principal fator , cafeicultores descapitalizados que irão diminuir muito os tratos culturais , então estes 10% menos é até conservador . 

Em 2021 , voltaremos a bienalidade baixa , mas vamos acrescentar mais 10% sobre a safra de 2019 , pois esta teve esta bienalidade acentuada devido a problemas climaticos em abril ,maio , junho e julho de 2018 , que foi uma acentuada estiagem com as arvores cafeeiras repletas de frutos da colheita recorde de 2018 , e isto fez um intenso  estresse nos cafeeiros , diminuindo seu crescimento vegetativo . 

Então para 2021 , a expectativa é uma safra de 53,90 milhões de sacas . 

Desta forma , o grande fornecedor mundial que é o Brasil , produzirá menos café para fornecer ao mundo . 

Porem outros países produtores de café também enfrentam grandes adversidades , principalmente devido aos baixo valor do café nos ultimos anos, trazendo um grande desestimulo a produção mundial . 

Assim sendo , conclui-se que os anos de 2019 , 2020 e 2021 terão produção inferiores ao consumo mundial que cresce a 2% ao ano , isto acarretará um  deficit de produção. 

Desta forma , os estoques nos paises consumidores serão usados , então grande parte destes estoques desaparecerão . 

Eu pessoalmente acredito que as exportações mundiais entre setembro de 2019 até agosto de 2020 serão menores em aproximadamente 15 milhões de sacas . 

Isto trará um diminuição de estoques nos paises importadores proximo a 12 milhões de sacas no periodo até agosto de 2019.  

Assim sendo , o café é um excelente ativo , aqueles que tiverem a felicidade de poderem ter o café como ativo serão compensados. 

Falo isto devido a taxas de juros internacionais serem baixas , com vies de diminuirem mais , fato que acontecerá no Brasil também. 

Não poderá ocorrer condições climaticas erraticas .

2018 = 63,00 milhões de sacas   colhida

2019 = 49,00 milhões de sacas   colhida 

2020 = 56,70 milhões de sacas   expectativa    90% da safra de 2018
2021 = 53,90 milhões de sacas   expectativa    110% da safra de 2019

Visualizar | |   Comentar     |  


Marco Antonio Jacob comentou em: 20/10/2019 11:02

 

Cooxupé diz que já vendeu toda sua oferta de café .

 

Cooxupé diz que já vendeu toda sua oferta de café; novos lotes só em julho de 2020

LOGO REUTERS

Por Marcelo Teixeira

SÃO PAULO (Reuters) - A Cooxupé, maior cooperativa de café do mundo e exportadora número 1 do Brasil, afirmou nesta sexta-feira que basicamente vendeu toda a sua oferta em contratos com entregas que se estendem até maio ou junho do ano que vem.

O superintendente comercial da Cooxupé, Lúcio de Araújo Dias, disse que a cooperativa atendeu recentemente a uma demanda surpreendentemente forte, e que enfrentará dificuldades para formar novos lotes para novas encomendas de agora em diante, apesar de os cafeicultores brasileiros terem recém finalizado a colheita da safra 2019.

"Se o cliente pedir, tenho que trabalhar pra ver se consigo.. (Mas) consegue pouca coisa, o que está em depósito já tem compromisso", disse Dias.

Seus comentários contrastam com a visão geral do mercado, de que as ofertas são amplas, com a produção superando o consumo nos últimos anos e a expectativa de que o Brasil atinja produção recorde em 2020.

Dias afirmou que está ciente das conversas mencionando uma grande safra brasileira no ano que vem, mas que "até chegar lá tem um tempo".

Novos lotes de café da safra 2020 do Brasil chegarão ao mercado apenas por volta de julho do próximo ano.

"Os fundos venderam uma quantidade enorme de café nos últimos 30 dias, e esse café não existe, então não sei como vai ficar isso", disse Dias.

Os fundos têm se mantido fortemente vendidos nos mercados de café e açúcar nos últimos tempos, apostando que os preços vão seguir pressionados devido aos aumentos de produção.

Apesar dos comentários da Cooxupé, a maioria dos analistas de mercado espera uma produção de café abundante no Brasil em 2020, com alguns deles sugerindo números que chegam a 70 milhões de sacas.

 

Visualizar | |   Comentar     |  



1