Rede Social do Café

T Ó P I C O : Cup of Excellence: de onde e de quem são os melhores cafés do Brasil em 2018

Informações da Comunidade

Criado em: 28/06/2006

Tipo: Tema

Membros: 5230

Visitas: 25.060.836

Mediador: Sergio Parreiras Pereira

                        

Adicionar ao Google Reader Adicionar ao Yahoo Reader Adicionar aos Favoritos BlogBlogs


Comentários do Tópico

Cup of Excellence: de onde e de quem são os melhores cafés do Brasil em 2018


Autor: Leonardo Assad Aoun

3.326 visitas

7 comentários

Último comentário neste tópico em: 23/10/2018 10:40:43


Leonardo Assad Aoun comentou em: 22/10/2018 12:06

 

Chapada de Minas e Cerrado Mineiro produzem os melhores cafés especiais do Brasil em 2018

 

Em cerimônia realizada no domingo, em Guaxupé (MG), BSCA apresentou ao mundo os 67 vencedores do Cup of Excellence, principal concurso de qualidade para cafés

unnamedRepresentantes das Fazendas Primavera e Paraíso recebendo o prêmio de campeões.

Em cerimônia marcada por muita emoção e que reconheceu a crescente qualidade dos cafés brasileiros, foram definidos, no domingo, 21 de outubro, em Guaxupé (MG), os melhores grãos especiais da safra atual, que venceram o Cup of Excellence – Brazil 2018. A empresa Primavera Agronegócios, com o lote produzido na Fazenda Primavera, em Angelândia, na região da Chapada de Minas Gerais, sagrou-se campeã da categoria "Pulped Naturals", com a nota 93,89 pontos. Já o cultivado por Maria do Carmo Andrade, na Fazenda Paraíso, em Carmo do Paranaíba, situada na Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, foi o campeão da categoria "Naturals", com 93,26 pontos.
 
Cup of Excellence – Brazil 2018, principal concurso de qualidade para cafés do mundo, realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE), teve 67 vencedores, sendo 30 na categoria "Pulped Naturals" e 37 na "Naturals", que são os lotes que receberam notas iguais ou superiores a 86 pontos (escala de zero a 100 da competição) pelos 29 profissionais, oriundos de 10 países, que compuseram o júri internacional.
 
Para a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o concurso exerceu sua função de garimpar os cafés nacionais que possuem um nível de excelência diferenciado e evidenciam a variedade e a qualidade dos grãos brasileiros. “O resultado foi extraordinário, fenomenal. Os juízes ficaram surpresos com a diversidade dos cafés recebidos, principalmente os da categoria Pulped Naturals, que destacaram que nossas diversas variedades e origens produtoras são capazes de entregar, com excelência e em quantidade, o que há de melhor ao mundo”, celebra.
 
A diversidade de sabores ficou evidente em consulta aos juízes internacionais, que destacaram que os melhores cafés especiais brasileiros ofereceram sensações gustativas que remetem a bergamota, mel, chocolate, mirtilo, pêssego, cana de açúcar, amora e frutas cítricas, entregando paladares intensos, com acidez acentuada e notas similares à escala dos vinhos.
 
O colombiano Ramon Alfredo Presiga Tangarife, da Latorre & Dutch Green Coffe, que compôs o júri internacional, destaca que provou cafés extraordinários produzidos no país. “São muito particulares pelos diferentes perfis que apresentam e essa diversidade faz com que o Brasil se posicione pela qualidade e pelas notas especificas de cada café, sendo muito atrativo para os clientes internacionais e nacionais”, sintetiza.
 
PULPED NATURALS
Na categoria voltada aos cafés cerejas descascados e/ou despolpados, cinco amostras receberam o título de café presidencial, obtendo nota superior a 90 pontos do júri internacional: os cafés produzidos por Reinaldo Garcia dos Santos, no Sítio Fortaleza, em Luisburgo, nas Matas de Minas; pela empresa Dimap, na Fazenda Santo André, em Pratinha, na Denominação de Origem do Cerrado Mineiro; por Maria José Junqueira Céglia, na Granja São Francisco, em Carmo de Minas, na Identificação de Procedência da Mantiqueira de Minas; e por Antônio Macedo Souza, no sítio Santo Antônio, em Piatã, na Chapada Diamantina da Bahia, além do campeão. Houve, ainda, sete "National Winners", com notas entre 84,00 e 85,99 pontos.
 
NATURALS
Dos 37 vencedores na categoria dedicada aos cafés naturais, colhidos e secos com casca, oito obtiveram o título de café presidencial, com nota superior a 90 pontos. Além da campeã Maria do Carmo Andrade, os lotes produzidos por Robson Vilela Martins, na Fazenda São Pedro, no município de Cristina, Alvaro Pereira Coli, do Sítio da Torre, em Carmo de Minas, Augusto Borges Ferreira, do Sítio Fortaleza, em São Gonçalo do Sapucaí, e Alessandro Alvez Hervaz, na Fazenda Fortaleza, também em São Gonçalo do Sapucaí, todos situados na Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas; por Salvador da Paixão Mesquita, na Chácara São Severino, em Piatã, e por José Renato Rodrigues Alves, na Chácara Vista Alegre, também em Piatã, na Chapada Diamantina, na Bahia; e por Silvia Dias Cambraia, na Fazenda Campo Alegre, em Santo Antônio do Amparo, no Sul de Minas Gerais, completam o seleto grupo. A categoria também teve um café considerado "National Winner".
 
ORIGENS PRODUTORAS
A região com o maior número de vencedores na categoria "Naturals" foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas, com 15 amostras (40,54% do total). Na sequência, vieram a Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com nove lotes (24,32%); Sul de Minas, com seis cafés (16,22%); Chapada Diamantina, com três amostras (8,11%); Matas de Minas, com dois lotes (5,41%); e Média Mogiana e Indicação de Procedência da Alta Mogiana de São Paulo, com um café cada (2,70%). O resultado completo está disponível no site da BSCA: http://brazilcoffeenation.com.br/contest-edition/show/id/10.
 
Entre os 30 vencedores da categoria destinada aos cafés produzidos por via úmida, destacou-se a região da Chapada Diamantina, que respondeu por 15 desses lotes. Os demais ganhadores foram produzidos na Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas, com sete amostras (23,33%); Matas de Minas, com quatro cafés (13,33%); Sul de Minas, com dois lotes (6,67%); e Chapada de Minas e Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com uma amostra cada (3,33%). O resultado completo está disponível no site da BSCA: http://brazilcoffeenation.com.br/contest-edition/show/id/11.
 
LEILÃO DOS VENCEDORES
O próximo passo do Cup of Excellence – Brazil 2018 é o disputado leilão, via internet, dos vencedores de cada categoria, que pagou mais de *R$ 55 mil por sacaao campeão do principal concurso de qualidade para cafés especiais no ano passado. Para os vitoriosos na "Pulped Naturals", o leilão dos vencedores ocorrerá no dia 29 de novembro, enquanto para os vencedores da "Naturals" será realizado em 5 de dezembro. Já os "National Winners" de ambas as categorias serão ofertados em leilão entre 29 de novembro e 7 de dezembro.
 
A fase internacional e a cerimônia de premiação e anúncio dos vencedores do Cup of Excellence – Brazil 2018 tiveram a cooperativa Cooxupé e a empresa SMC Specialty Coffees como anfitriãs. Todas as etapas do concurso foram auditadas pela Agricert Brasil.
 
BRAZIL. THE COFFEE NATION
Cup of Excellence – Brazil 2018 é ação integrante do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", que é desenvolvido em parceria por BSCA e Apex-Brasil e tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no país. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.
 
Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá até maio de 2020, tendo como mercados-alvo: (i) Alemanha, Austrália, Canadá, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido, Rússia, Taiwan (Formosa) e Turquia para os cafés crus especiais; e (ii) Argentina, China e Estados Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.
 
* No leilão dos vencedores da categoria “Pulped Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2017, cada saca do lote campeão, do produtor Gabriel Nunes, da Fazenda Bom Jardim, em Patrocínio (MG), foi vendido por R$ R$ 55.457,60.
 
Mais informações para a imprensa
BSCA – Assessoria de Imprensa
Paulo André C. Kawasaki
(61) 98114-6632 / ascom@bsca.com.br

Visualizar | |   Comentar     |  


Eduardo Cesar comentou em: 22/10/2018 15:49

 

Lotes brasileiros superam a marca de 90 pontos

 

Revista Negócio Café - Por Eduardo Cesar

O resultado da etapa internacional do Cup of Excellence — Brazil 2018 confirma o aumento da qualidade dos cafés brasileiros. No total, 67 lotes das duas categorias avaliadas, Naturals e Pulped Naturals, alcançaram mais de 86 pontos na escala da Specialty Coffee Association (SCA).

Isso representa uma evolução diante dos últimos dois anos. Em 2017, o número de lotes avaliados com nota acima de 86 foi de 57. Em 2016, foram 43.

Elaborado por Negócio Café a partir de dados da Alliance for Coffee Excellence

No Cup of Excellence (CoE), os lotes que alcançam 86 pontos, ou mais, são considerados os vencedores do certame. A avaliação é feita por um time de juízes internacionais.

Cafés presidenciais

Os cafés que alcançam 90 pontos, ou mais, são chamados de “cafés presidenciais”. Produzir um lote com essa pontuação é muito difícil, o que faz com que eles sejam raros.

Mas os cafeicultores nacionais estão se aprimorando na ciência da qualidade e a quantidade de cafés presidenciais no CoE dobrou em apenas dois anos. De seis lotes, em 2016, o país chegou a 13 na edição 2018.

No Brasil, o CoE é realizado por meio de uma parceria entre Alliance for Coffee Excellence (ACE), Brazilian Specialty Coffee Association (BSCA) e ApexBrasil.

A edição 2018 do concurso contou com o apoio do Instituto Federal do Sul de Minas (IF Sul de Minas) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

O evento foi realizado no município mineiro de Guaxupé, tendo com anfitriãs a Cooperativa Regional dos Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) e a SMC Specialty Coffees.

Sobre a revista Negócio Café

Negócio Café é uma publicação mensal 100% digital e 100% gratuita. Ela aborda temas relevantes da cafeicultura no Brasil e no mundo, do grão à xícara. Faça a sua assinatura.

Além da revista digital, publica notícias e análises exclusivas no Instagram e no Facebook.

Fale com a redação: contato@negociocafe.com.br

Visualizar | |   Comentar     |  


Eduardo Cesar comentou em: 22/10/2018 16:55

 

Lista de vencedores da categoria "Naturals" (com indicação das cultivares)

 

Segue a lista de vencedores da categoria Naturals com a indicação das cultivares utilizadas.

POSIÇÃO

PROPRIEDADE

PRODUTOR

REGIÃO

PONTUAÇÃO

VARIEDADE

1

Fazenda Paraíso

Maria do Carmo Andrade – Andrade Bros

Cerrado Mineiro

93.26

Catuaí Vermelho

2

Fazenda São Pedro

Robson Vilela Martins

Mantiqueira de Minas

92.06

Catucaí Amarelo

3

Chácara São Severino

Salvador da Paixão Mesquita

Chapada Diamantina

91.91

Catuaí 144

4

Chácara Vista Alegre

José Renato Rodrigues Alves

Chapada Diamantina

91.35

Catuaí 144

5

FAZENDA CAMPO ALEGRE

SILVIA DIAS CAMBRAIA

Sul de Minas

91.09

Catucaí

6

Sítio da Torre

ALVARO ANTÔNIO PEREIRA COLI

Mantiqueira de Minas

90.74

Bourbon Amarelo

7

Fortaleza

Augusto Borges Ferreira

Mantiqueira de Minas

90.18

Catuaí Vermelho 99

8

FAZENDA FORTALEZA

ALESSANDRO ALVES HERVAZ

Mantiqueira de Minas

90.15

Bourbon Amarelo

9

Fazenda Bela Época

Luiz da Cunha Sobrinho

Alta Mogiana

89.50

Catucaí Amarelo 2SL

10

Nossa Senhora Aparecida

RONEY DIAS VILLELA

Mantiqueira de Minas

89.41

Bourbon Amarelo

11

SITIO NOSSA SENHORA APARECIDA

MARLISE PEREIRA JUNQUEIRA

Mantiqueira de Minas

89.38

Bourbon Amarelo

12

Fazenda Espigão do Palmital

Edu Leandro Melo

Cerrado Mineiro

89.26

CatiguáMG2

13

Fazenda Santa Rita – Central Mattos

Filomena Estefânia de Mattos Couto

Cerrado Mineiro

89.26

Topázio Amarelo

14

Sitio Grota Fria

Ademilson Noiman Borges

Mantiqueira de Minas

89.03

Mundo Novo

15

Fazenda Furnas ( Nome Fantasia: Fazenda Alto da Serra)

Valdeci Domingos Nascimento

Sul de Minas

88.91

Catuaí Amarelo

Hudson Miller Vilela

16

Fazenda Pedra Preta

ANTÔNIO FORTES BUSTAMANTE

Mantiqueira de Minas

88.85

Bourbon Amarelo

17

Fazenda Barinas

MARCIO BORGES CASTRO ALVES

Cerrado Mineiro

88.79

Bourbon Amarelo

18

Fazenda Cachoeira da Grama

Gabriel de Carvalho Dias

Média Mogiana

88.65

Bourbon

19

Sitio do Bone

Vanderlei Paulo Martins

Matas de Minas

88.35

catuaí

20

SÍTIO MANDIOCA

RONALDO REIS MADEIRA

Sul de Minas

88.32

Catuaí Vermelho

21

FAZENDA CLAUDIO

VITOR MARCELO QUEIROZ BARBOSA

Cerrado Mineiro

88.21

Catuai Amarelo 62

22

FAZENDA VITÓRIA

LISSA FUKUDA MARRA

Cerrado Mineiro

88.15

Bourbon Vermelho

23

Chácara Capãozinho

Glayco Barbosa

Chapada Diamantina

88.09

Catuaí 144

24

SITIO SANTO ANTONIO

VICENTE VANILDO DO NASCIMENTO

Mantiqueira de Minas

87.91

Catucaí Amarelo

25

Fazenda Sertãozinho

Fazenda Sertãozinho LTDA.

Sul de Minas

87.88

Arara

26

Sitio Alto da Serra

Domiciano Paulo Gonçalves

Mantiqueira de Minas

87.79

Catuaí Vermelho

27

Sitio Córrego dos Machados

Antonio Marcio Lopes

Matas de Minas

87.79

Catuai 44

28

SÍTIO SÃO FRANCISCO

ADRIANA DE BARROS RODRIGUES

Mantiqueira de Minas

87.76

Bourbon Amarelo

29

FAZENDA NOSSA SENHORA APARECIDA

EDMO JUNQUEIRA VILLELA

Mantiqueira de Minas

87.59

BOURBON AMARELO,BOURBON AMARELO

30

SÍTIO CÓRREGO GRANDE

Sérgio dos Reis Oliveira

Sul de Minas

87.59

Catucaí Amarelo

31

Sítio Santa Terezinha

EDSON ROSA GARCIA

Mantiqueira de Minas

87.56

Catucaí Amarelo

32

FAZENDA DO SERTÃO

NAZARETH DIAS PEREIRA E OUTROS

Mantiqueira de Minas

87.53

Bourbon amarelo

33

Fazenda São Bento

Rodrigo de Castro Andrade – Andrade Bros

Cerrado Mineiro

87.41

Catuaí Vermelho

34

Fazenda Esperança

Bruno Oliveira Sidney de Souza

Cerrado Mineiro

87.41

Icatu Amarelo

35

SERRA DO TRIUNFO

WAGNER TEODORO DA SILVA

Mantiqueira de Minas

87.21

Catuaí Amarelo

36

Fazenda São Sebastião

Jung H. Kim

Sul de Minas

87.12

Bourbon Amarelo

37

Fazenda Santo André

Dimap S.A

Cerrado Mineiro

86.91

Catiguá

Visualizar | |   Comentar     |  


Eduardo Cesar comentou em: 22/10/2018 17:02

 

Lista de vencedores da categoria Pulped Natural (com indicação das cultivares utilizadas)

 

Segue a lista de vencedores da categoria Pulped Naturals com indicação das cultivares utilizadas

POSIÇÃO

PROPRIEDADE

PRODUTOR

REGIÃO

PONTUAÇÃO

VARIEDADE

1

PRIMAVERA AGRONEGÓCIOS LTDA

PRIMAVERA AGRONEGÓCIOS LTDA

Chapada de Minas

93.89

GESHA

2

Reinaldo Garcia dos Santos

Sitio Fortaleza

Matas de Minas

91.36

Catucaí 785/15

3

Dimap S.A.

Fazenda Santo André

Cerrado Mineiro

90.89

Catiguá

4

Maria José Junqueira Céglia

Granja São Francisco

Mantiqueira de Minas

90.67

Bourbon Amarelo

5

Antônio Macedo Souza

Sitio Santo Antonio

Chapada Diamantina

90.17

Catuaí 144

6

Pedro Marques de Souza

Fazenda Horizonte

Chapada Diamantina

89.94

Catuaí

7

Maridalton Silva Santana

Sítio Bonilha

Chapada Diamantina

89.92

Catuaí 144

8

Homero Aguiar Paiva

Fazenda Guariroba

Sul de Minas

89.53

Catucaí Amarelo

9

Holding Satuário Sul

Santuário Sul

Mantiqueira de Minas

88.50

GESHA

10

Ismael Oliveira Cruz

Sítio Cruz

Chapada Diamantina

88.14

Catuaí 144

11

Cândido Vladimir Ladeia Rosa

Fazenda Ouro Verde

Chapada Diamantina

88.14

Catuaí 144

12

Eulino José Novais

Fazenda Santa Bárbara

Chapada Diamantina

88.03

Catuaí 144

13

Cláudio Carneiro Pinto

Sítio Grota São Pedro

Mantiqueira de Minas

88.03

Bourbon Amarelo

14

Agnaldo Martins Assunção

Fazenda Volta da Serra

Chapada Diamantina

87.97

Catuaí

15

Ipanema Agrícola S/A

Fazenda Rio Verde

Mantiqueira de Minas

87.97

Catuaí Amarelo

16

Lívio César Carvalho Ferraz

Fazenda Boa Vista

Mantiqueira de Minas

87.94

Acaiá

17

Miguel Ângelo Macedo Xavier

Fazenda Vista Alegre

Chapada Diamantina

87.72

Catuaí

18

Alencar Julião Dias Filho

Fazenda Passagem Pedra

Chapada Diamantina

87.39

Catuaí

19

José Renato Rodrigues Alves

Chácara Vista Alegre

Chapada Diamantina

87.25

Catuaí 144

20

Euclides Antônio de Novais

Sítio Sumidouro

Chapada Diamantina

87.19

Catuaí 144

21

Giliarde Torres de Oliveira

Sitio Cafundó

Chapada Diamantina

87.00

Catuaí 144

22

Paulo Henrique Miranda

Sítio Caminho da Serra

Matas de Minas

87.00

Catuai 44

23

Antônio Fortes Bustamante

Fazenda Paraíso

Mantiqueira de Minas

87.00

Bourbon Amarelo

24

Cristina Dias Sampaio Gerolimich

Fazenda Caracol

Matas de Minas

86.92

Catuaí

25

Flávio Roberto Carvalho Ferraz

Fazenda Boa Vista

Mantiqueira de Minas

86.89

Catuaí Amarelo

26

João Florentino Barbosa

Chácara União

Chapada Diamantina

86.83

Catuaí 144

27

Merce Jordan Araújo Silva

Sitio São Sebastião

Chapada Diamantina

86.75

Catuaí Vermelho

28

Fazenda Sertãozinho LTDA.

Fazenda Laranjal

Sul de Minas

86.58

Arara

29

Alex Sandro Silva Santana

Sitio Santana 2

Chapada Diamantina

86.47

Catuaí 144

30

Vicente Jacinto de Moura

Sítio Três Barras

Matas de Minas

86.25

catucai vermelho 785/15

Visualizar | |   Comentar     |  


Eduardo Cesar comentou em: 22/10/2018 17:18

 

Os cafés dos campeões

 

Cultivares mais utilizadas pelos vencedores da categoria Naturals:

Bourbon Amarelo: 10 lotes

Catuaí Vermelho: 10 lotes*

Catucaí Amarelo: 05 lotes

Cultivares mais utilizadas pelos vencedores da categoria Pulped Naturals:

Catuaí Vermelho: 17 lotes**

Burbon Amarelo: 03 lotes

Gesha: 02 lotes

*Inclui todos os lotes indicados como Catuaí, Catuaí Vermelho, Catuaí 44, Catuaí 99 e Catuaí 144.

** Inclui todos os lotes indicados como Catuaí, Catuaí Vermelho, Catuaí 44 e Catuaí 144.

Visualizar | |   Comentar     |  


João Marcos Altieri Ramos comentou em: 22/10/2018 17:49

 

E GEISHA pode ARNALDO ?

 

E GEISHA pode ARNALDO ?

Muito boas considerações Sr. Eduardo Cesar.

Estranho de uma hora pra outra começarem apresentar “CULTIVARES” de café de outras origens. Esse GEISHA que venceu, passou por processo de QUARENTENA VEGETAL ? Importar café verde pra Drawback não pode ! Pra plantar PODE? De onde vieram as plantas e/ou sementes? 

SSerá que organização do concurso  leva em consideração as  “Normas e Procedimentos Quarentenários de Intercâmbio Internacional de Vegetais e Solo", constantes da Portaria Nº 148, de 15 de junho de 1992. (Ministério da Agricultura). 

Fica minha sugestão para averiguação.

Atenciosamente

 

Visualizar | |   Comentar     |  


Gerson Silva Giomo comentou em: 23/10/2018 10:54

 

Geisha pode sim. No Brasil tudo pode!

 

Excelentes considerações Sr. João Marcos Altieri. Temos visto que nosso País Agricola parece uma terra sei Lei. Tudo desgovernado, cada um por si, salve se quem puder, sempre haverá alguém querendo tirar vantagem. Sem Lei não porque não existem, mas porque não são cumpridas. Sobre esse aspecto que você comentou sobre quarentena vegetal, nada é por acaso. Simplesmente atende a necessidade de qualquer ser minimamente racional, pois trata se da principal ação para evitar entrada de pragas e doenças. Quem conhece um pouco de história sabe que a broca do café entrou no País por falta de cuidados quarentenarios. Quanto ao aspecto legal que você cita, além da proibição de importação de café cru, grãos ou sementes (Conforme a Instrução Normativa n. 52, de 01 de dezembro de 2016 é permitido a importação pata fins especificos, mediante anuência do MAPA). Podemos acrescentar que no Brasil existe o RENASEM (Lei 10.711, de 5 de agosto de 2003), que define normas e procedimentos para propagação e uso de cultivares. Nós, que trabalhamos com melhoramento genético e desenvolvimento de cultivares temos que seguir a risca toda a legislação, demorando anos para coneguir inscrever uma nova cultivar no Registro Nacional de Cultivares. Esse é o unico caminho que existe para a existência de uma nova cultivar comercial, assegurando aos usuarios que lhe será oferecido um produto que foi devidamente testado quanto ao desempenho agronômico. Ou seja, perante a legislação, somente cultivares registradas estao aptas ao cultivo comercial. Particularmente não vejo nenhum problema em ter um cultivar estrangeira de excelente qualidade. Apenas faço ressalvas quanto a legalidade do processo de introdução de materiais importados, pois se isso não for feito conforme a legislação estaremos colocando em risco a existência das instituições de pesquisa no Brasil, que são obrigadas a trabalhar conforme a legislação. Nesse aspecto acrescento que os organizadores de eventos dessa magnitude precisam estar atentos ao cumprimento da legislação brasileira para que não se estimule qualquer tipo de competição desigual. Vamos ao aspecto comercial, como é que será feita a comercialização de algo que oficialmente não existe no Brasil? Como é que o MAPA vai se posicionar? Será que vai agir fazendo de conta ou atuará com voz ativa e austeridade, segundo a legislacao. Por fim, ainda que sejamos um Pais pseudo democratico, devemos eatar atentos no minimo ao atendimento das leis vigentes, e se isso não atende as nossas necessidades devemos lutar para aprimora las, mas nunca descumpri las, pois isso nos coloca num status de Fora da Lei. E não queremos ser vistos assim. Boa reflexão e boa sorte a todos! Atenciosamente

TAGS: Cafés Especiais; Geisha; Gesha; COE Brasil; Cultivares; Variedades

Visualizar | |   Comentar     |  



1