Rede Social do Café

T Ó P I C O : Café: Cotações do arábica encerram sessão desta 4ª feira com leve alta na Bolsa de Nova York

Informações da Comunidade

Criado em: 28/06/2006

Tipo: Tema

Membros: 5086

Visitas: 20.911.886

Mediador: Sergio Parreiras Pereira

                        

Adicionar ao Google Reader Adicionar ao Yahoo Reader Adicionar aos Favoritos BlogBlogs


Comentários do Tópico

Café: Cotações do arábica encerram sessão desta 4ª feira com leve alta na Bolsa de Nova York


Autor: Leonardo Assad Aoun

28 visitas

1 comentários

Último comentário neste tópico em: 09/01/2019 21:01:15


Leonardo Assad Aoun comentou em: 09/01/2019 21:25

 

Café: Cotações do arábica encerram sessão desta 4ª feira com leve alta na Bolsa de Nova York

 

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta quarta-feira (09) com leve alta. O mercado do grão estendeu ganhos diante de preocupações com o Brasil e suporte do câmbio e fatores técnicos.

O vencimento março/19 fechou o dia com alta de 25 pontos, a 105,30 cents/lb e o maio/19 teve avanço de 40 pontos, a 108,50 cents/lb. O julho/19 registrou 111,40 cents/lb com valorização de 45 pontos e o setembro/19 anotou 114,30 cents/lb e 55 de ganhos.

O mercado externo do arábica chegou a avançar mais forte durante o dia acompanhando as oscilações do dólar e o Brasil. No entanto, os ganhos foram diminuindo ao longo do dia. Ainda assim, a valorização prevaleceu e o vencimento referência fechou acima de US$ 1,05/lb.

"O café arábica (março/19) subiu para uma nova alta de um mês pela manhã com preocupações do clima no Brasil. A Somar Meteorologia prevê altas temperaturas e poucas chances de chuvas até o final do mês em Minas Gerais, maior região produtora de arábica", disse o site Barchart.

O dólar comercial encerrou a sessão desta quarta-feira (09) com queda de 0,75%, cotado a R$ 3,6878 na venda, acompanhando o otimismo com as negociações comerciais entre China e Estados Unidos, além das expectativas de anúncio da reforma da Previdência pelo governo Bolsonaro.

"O que o governo tem apresentado é positivo, mas agora precisamos de ação", disse para a agência de notícias Reuters a estrategista de câmbio do banco Ourinvest Fernanda Consorteio.

O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo. As oscilações da moeda estrangeira impactam diretamente nas exportações da commodity. A divisa mais baixa ante o real tende a desencorajar os embarques.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café segue com poucos negócios. "Os preços internos dos cafés arábica e robusta recuaram fortemente em dezembro e iniciam janeiro em queda, influenciados pela baixa das cotações externas de ambas as variedades", disse o Cepea  (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 440,00 - estável. A maior oscilação foi registrada em Guaxupé (MG) com queda de 2,01% e saca a R$ 438,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 440,00 e alta de 3,53%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 e estabilidade. A maior oscilação ocorreu em Guaxupé (MG) com baixa de 2,38% e saca a R$ 410,00.

Na terça-feira (08), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 411,77 e avanço de 1,51%.

Por: Jhonatas Simião

Visualizar | |   Comentar     |  



1